sábado, 26 de janeiro de 2008

Leon Morgan Reese - Um missionário nas selvas Amazônicas

“...os sonhos de Deus, jamais vão morrer!”,

SONHOS: uma palavra tão simples mas que tem figurado nos vocabulários dos grandes homens e mulheres de Deus. Homens e mulheres que anseiam pelos sonhos de Deus para sí e fazem com que estes sonhos tornem-se realizáveis aqui neste mundo.
Eu particularmente sou um sonhador, sonho com melhores dias para esse país, melhores dias dias para os meus familiares, melhores dias para a Igreja Brasileira e acima de tudo, sonho com um Brasil rendido aos pés do Senhor.
Sou amazonense, nasci em uma localidade próximo da cidade de Codajás, em uma ilha chamada “Ilha de Santa Rosa”, e foi lá pelos anos de 1972 que conheci um homem de Deus, do qual eu tenho uma grande admiração, um homem que lutou por um ideal: Ver os ribeirinhos do interior do Amazonas sendo salvo por Jesus Cristo.
O Brasil foi evangelizado por missionários estrangeiros que aqui aportaram e o Brasil é grato a esses homem de Deus, que não mediram esforços e dificuldades lingüística para verem os sonhos do Senhor sendo realizados: propagar o Nome do Senhor Jesus Cristo.
Mas quero falar aqui de um homem que durante muito tempo esteve entre as comunidades ribeirinhas, mesmo sem entender o português, mas havia algo que queimava em seu coração desde de que quando saiu de Griffin, Geórgia, nos Estados Unidos em 1972, ainda jovem, com apenas 18 anos rumo ao Brasil: o amor por Missões. Seu nome, Reverendo Leon Morgan Reese. Calmo, tranqüilo, determinado e convicto de sua chamada, sim, porque dificilmente alguém sairia de seu país tão jovem para uma terra distante, sem conhecer ninguém e nem mesmo a língua nativa desse povo, se não tivesse convicção de sua chamada. Aqui firmou os passos e organizou a Igreja Congregacional Pentecostal, filial da Congregational Holiness Church.
Ganhou almas e uma dessas primeiras pessoas a se converter foi a minha mãe Esmeralda de Lima Ferreira, lá em uma localidade chamada Sacambú, onde tínhamos um Sitio próximo e onde ele fundou a primeira Igreja Congregacional Pentecostal no Brasil. Quando fomos morar em Manaus, a Igreja também foi aberta em Manaus e lá crescemos junto com esta obra que se expandiu e hoje está em alguns estados brasileiros. A Igreja Congregacional Pentecostal no Brasil deve muito a este homem de Deus, que partiu para a glória em um a acidente de avião nos Estados Unidos em 1995, mas deixou um legado enorme à famíla Congregacional no Brasil. A minha convivência com o Missionário Leon Morgan Reese e a seriedade com que tratava a obra do senhor, me fez almejar o Ministério. Hoje ele faz parte da galeria de homens de Deus que desbravaram essa Amazônia, junto com os Pastores Raimundo Bastos, Almir Dias da Silva, Francisco Rosa de Oliveira e atualmente com o Pastor Francisco Edimar Cordeiro.
Que Deus abençoe poderosamente o Ministério Congregacional Pentecostal no Brasil.

Um comentário: